quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Histórias de coisa nenhuma e outras pequenas significâncias

Aquela história fazia-a chorar: tinha a letra muito miudinha.
In Histórias de coisa nenhuma e outras pequenas significâncias, pág. 63, Campo das Letras, Augusto Baptista

Sem comentários:

Enviar um comentário