sábado, 31 de dezembro de 2016

Enigma 1193
Por que é que as nuvens não despejam a água às baldadas e optam pelo modo poético de chover?
Augusto Baptista

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Enigma 1192
Quem anda abananado compra os cachos na Madeira ou importa-os de Angola?
Augusto Baptista
Enigma 1191
Até quando iremos sobreviver à tragédia?
Augusto Baptista

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Enigma 1190
Onde, exactamente onde, é que a porca torce o rabo?
Augusto Baptista

sábado, 24 de dezembro de 2016

Enigma 1189
Porquê não concebeu Maria uma Menina?
Augusto Baptista

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Enigma 1188
Deste o primeiro beijo ou foi-te roubado?
Augusto Baptista

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Enigma 1187
Num espaço com gente, a gente tem espaço?
Augusto Baptista

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Enigma 1186
As caras de bacalhau são sisudas?
Augusto Baptista

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Enigma 1185
Umas abrem-se em adeuses; outras fecham-se, agressivas;  algumas adelgaçam-se, unhas aceradas; e na pele têm rugas, impressões, calos, cicatrizes: as folhas são as mãos das árvores?
Augusto Baptista

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Enigma 1184
Quem tem um encontro à volta das três, qual escolhe?
Augusto Baptista
Enigma 1183
As gotas que dilatam a pupila também dilatam o pupilo?
Augusto Baptista

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Enigma 1182
Só os cegos vêem quantos cegos há em volta?
Augusto Baptista

sábado, 10 de dezembro de 2016

Enigma 1181
Quando é tarde Inês é morta, o Pedro?
Augusto Baptista

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Enigma 1180
Num A4 deitado as palavras adormecem?
Augusto Baptista

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Enigma 1179
Se não atravessas a rua para salvar o balão do menino, algum dia a atravessarás para salvar o menino do balão?
Augusto Baptista
Enigma 1178
Dor tem tradução?
Augusto Baptista

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Enigma 1177
As bocas que te mandam têm dentes?
Augusto Baptista

domingo, 4 de dezembro de 2016

Enigma 1176
Se tivesses um galo, outro galo cantaria?
Augusto Baptista

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Enigma 1175
Lixo adiado nos jardins da cidade: as folhas nas copas das árvores?
Augusto Baptista

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Enigma 1174
Passar a vida a encher pneus faz bem à saúde?
Augusto Baptiata

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Enigma 1173
Coravam, as velas das caravelas?
Augusto Baptista

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Enigma 1172
A quantos pontapés resiste uma bola de futebol?
Augusto Baptista

domingo, 20 de novembro de 2016

Enigma 1171
Por onde vai o gato às filhoses?
Augusto Baptista

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Enigma 1170
As fotos dos reclusos têm moldura penal?
Augusto Baptista
Enigma 1169
Qual a esperança de golo de uma bola de futebol?
Augusto Baptista

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Enigma 1168
Quando a manhã acordar sem ti, quem dará por isso?
Augusto Baptista

domingo, 13 de novembro de 2016

Enigma 1167
O D está grávido ou é só gordura?
Augusto Baptista

sábado, 12 de novembro de 2016

Enigma 1166
Se a barriga dá horas, será que pulsa tic-tac, tic-tac, como um relógio?
Augusto Baptista
Enigmas 1165
É o i que tapa a nudez ao seixo?
Augusto Baptista

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Enigma 1164
Quem tem vistas largas tem espaço para as orelhas?
Augusto Baptista

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Enigma 1163
Por que será que quando o b se torna grande fica com duas barrigas?
Augusto Baptista

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Enigma 1162
Fantástica é uma lista onomástica dentro de uma saca plástica?
Augusto Baptista
Enigma 1161
O d é um q a fazer o pino?
Augusto Baptista
Enigma 1160
Em Lisboa Oriente produzem-se especiarias?
Augusto Baptista

domingo, 30 de outubro de 2016

Enigma 1159
Porquê uma cadeira, com arame a uivar à volta, aprisionada no meio do prado?
Augusto Baptista
Enigma 1158
Em que amanhã anda a roda?
Augusto Baptista

sábado, 29 de outubro de 2016

Enigma 1157
Quem dá duas de letra, dá três de treta?
Augusto Baptista

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Enigma 1156
Como consegue o Pai Natal, que em tanta chaminé se afunda, não ter o nariz enfarruscado?
Augusto Baptista

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Enigma 1155
Onde radica o litígio entre o gato e o rato?
Augusto Baptista

sábado, 22 de outubro de 2016

Enigma 1154
Quem por linhas direitas escreve torto é míope ou escreve assim de propósito?
Augusto Baptista

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Enigma 1153
Quem atinge os objectivos fá-lo a tiro ou à pedrada?
Augusto Baptista

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Enigma 1152
As pessoas encartadas recebem muita correspondência?
Augusto Baptista

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Enigma 1151
As calças justas nasceram assim ou andaram em Direito?
Augusto Baptista

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Enigma 1150
Precisa-se de quantos centímetros de bom elástico para, esticando ao máximo, fazer um metro?
Augusto Baptista
Enigma 1149
Quando é que a Justiça adopta a balança digital?
Augusto Baptista
Enigma 1148
Quando nada se espera é quando tudo pode chegar?
Augusto Baptista

domingo, 16 de outubro de 2016

Enigma 1147
Os rabos alçados dos gatos são mais leves do que o ar?
Augusto Baptista

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Enigma 1146
Quando vais aos arames, optas pelos farpados?
Augusto Baptista

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Enigma 1145
Porquê, logo hoje, este gota de mar no canto do olho?
Augusto Baptista

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Enigma 1144
Há analgésico para a dor de alma?
Augusto Baptista

sábado, 1 de outubro de 2016

Enigma 1143
Quantas mãos tem um braço de mar?
Augusto Baptista

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Enigma 1142
Para quem anda com o rei na barriga, a coroa não incomodará?
Augusto Baptista
Enigma 1141
As ondas do mar são desfrisáveis?
Augusto Baptista

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Enigma 1140
Adão e Eva eram brancos?
Augusto Baptista

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Enigma 1139
Não será perigoso embalar bebés?
Augusto Baptista

sábado, 17 de setembro de 2016

Enigma 1138
O luto é uma dor que, por mais que perdure, nunca se cumpre?
Augusto Baptista
Enigma 1137
É de galo, galinha, a crista da onda?
Augusto Baptista

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Enigma 1136
Na respiração boca a boca o mau hálito é um factor irrelevante?
Augusto Baptista

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Enigma 1135
No Paraíso havia mosquitos?
Augusto Baptista

Enigma 1134
Guarda-redes que dá frango, dá galo?
Augusto Baptista

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Enigma 1133
A maçã genesial era vermelha?
Augusto Baptista

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Enigma 1132
As amizades coloridas têm tons quentes?
Augusto Baptista

domingo, 7 de agosto de 2016

Enigma 1131
Quem prefere o papá à mamã, prefere a papaia ao mamão?
Augusto Baptista

domingo, 31 de julho de 2016

Enigmas 1130
O verde-garrafa tem menos volume que o verde-garrafão?
Augusto Baptista

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Enigma 1129
Quem diz ao jacarandá quando é o tempo de florir?
Augusto Baptista

domingo, 10 de abril de 2016

Enigma 1128
As ermidas, as ermidas, onde se erguem as ermidas nos mares encapelados?
Augusto Baptista

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Enigma 1127
Há perucas para pneu careca?
Augusto Baptista

quarta-feira, 6 de abril de 2016

A noite das facas longas
Abre o bilhete, dobrado em quatro, que ele lhe deixou sobre a mesa. Lê, dissimuladamente:

Espero-a esta noite. A porta da rua fica encostada. Seja cuidadosa, que ninguém a veja entrar. Eu próprio tratarei da ceia. Uma receita da minha falecida avó: carne esfaqueada em tiras, chouriço de sangue golpeado, uma cabeça de alho esmagada, batata a murro. E prometo-lhe sangria, à luz de velas.

Volta a dobrar o bilhete em quatro. Com a ponta e mola corta o papel aos bocadinhos, corta o papel aos bocadinhos, corta o papel aos bocadinhos, e decide arriscar.
ab
Enigma 1126
Quando é muita areia para a tua camioneta, os pneus?
Augusto Baptista

terça-feira, 5 de abril de 2016

Enigma 1125
O nervoso miudinho cresce?
Augusto Bsptista

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Enigma 1124
Um tipo quadrado é redondamente chato?
Augusto Baptista

domingo, 3 de abril de 2016


Enigma 1123
Porquê tristeza, malta portuguesa?
Augusto Baptista

sábado, 2 de abril de 2016

Enigma 1122
Batata a murro é violência doméstica?
Augusto Baptista
Enigma 1121
Sol escreve-se com maiúscula, quando encoberto?
Augusto Baptista

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Enigma 1120
As pessoas deprimidas vivem em ruas sem saída?
Augusto Baptista
Enigma 1119
Uma no cravo, outra na ferradura: propósito ou nervosismo?
Augusto Baptista

quinta-feira, 31 de março de 2016

O mergulho

Olha a íngreme sucessão de degraus, devagar faz a ascensão penosa. Atingida a prancha principal, prepara o salto: ergue os braços, flecte ligeiramente as pernas, logo num impulso vigoroso voa para diante, para cima. Desenha uma curva exacta e, veloz, o corpo em prumo irrepreensível, silva para o poço mais fundo – detesta falhar projectos – e, em rigoroso ângulo recto, fere a imaculada superfície azul. Ainda a cheirar a tinta fresca.
a.b.
Enigma 1118
Quando grama era gramma pesava mais?
Augusto Baptista

quarta-feira, 30 de março de 2016


Enigma 1117
Os peixes quando vão para a cama tiram as escamas?
Augusto Baptista

terça-feira, 29 de março de 2016

Enigma 1116
As estradas de terra batida já apresentaram queixa?
Augusto Baptista

segunda-feira, 28 de março de 2016

Enigma 1115
Os dragões gastam botija ou têm gás canalizado?
Augusto Baptista

domingo, 27 de março de 2016

Enigma 1114
A fêmea do tubarão é a tubaronesa?
Augusto Baptista

sábado, 26 de março de 2016


Enigma 1113
E a quem tem dentes, Deus dá nozes?
Augusto Baptista

sexta-feira, 25 de março de 2016


Enigma 1112
Acham-se caminhos nos passos perdidos?
Augusto Baptista

quarta-feira, 23 de março de 2016

Enigma 1111
O gancho do capitão era ox ou inox?
Augusto Baptista

terça-feira, 22 de março de 2016

Enigma 1110
Se dolência é tristeza, prostração; indolência é frenesim, agitação?
Augusto Baptista

segunda-feira, 21 de março de 2016

Enigma 1109
Quem trabalha de sol a sol folga quando está enevoado?
Augusto Baptista

domingo, 20 de março de 2016

Enigma 1108
Caos é dispersar, quando toca a reunir?
Augusto Baptista

sábado, 19 de março de 2016

Enigma 1107
A gymnastica antigamente era mais complicada?
Augusto Baptista

sexta-feira, 18 de março de 2016

Enigma 1106
Os portugueses de gema são de ovos nacionais?
Augusto Baptista

quinta-feira, 17 de março de 2016

Enigma 1105
Quando chovem picaretas, há mão-de-obra disponível?
Augusto Baptista

quarta-feira, 16 de março de 2016

Enigma 1104
As primas-donas são proprietárias de quê?
Augusto Baptista

terça-feira, 15 de março de 2016

Enigma 1103
Quem faz trinta por uma linha, faz sessenta por duas linhas?
Augusto Baptista

segunda-feira, 14 de março de 2016

Enigma 1102
Quem não se aguenta nas canetas, escreve a lápis?
Augusto Baptista

domingo, 13 de março de 2016


Enigma 1101
Contra os canhões marchar, marchar! - em que sentido?
Augusto Baptista

Enigma 1100
Por que é que os cães fogem a ganir Caim! Caim! e não Abel! Abel! ?
Augusto Baptista

 
Ao longo de dias, semanas, meses, anos: mil e cem enigmas, publicados em azul-canário.
 
Um extenso questionar, o espanto polifacetado de existir. E, vendo bem, uma ínfima amostra afinal dos mistérios que nos habitam, que habitamos, formulada em interrogações às vezes humoradas, outras nem por isso, construções lógicas ou desconchavadas, desafios, palavras e sentidos emaranhados nos labirintos do discurso.

Tempos idos, quando o universo das magicações publicadas rondaria a centena e meia, saiu a primeira edição de ENIgMATÓgRAFO, raríssimo livrinho de textos e desenhos. Se a tanto me consentir o engenho, a paciência, a capacidade de cobrir os custos, a vida, será chegada a hora de uma dilatada segunda edição de ENIgMATÓgRAFO, para que esta entrelaçada teia de pontos e nós indecifráveis não se esfume. 
 
Veremos.
 
Entretanto, novos enigmas vão surgir aqui, talvez na razão directa de insondáveis desígnios pessoais.

sábado, 12 de março de 2016

Enigma 1099
Macaca nana a sonhar com banana?
Augusto Baptista

sexta-feira, 11 de março de 2016

Enigma 1098
E se de repente, sei lá, cair o Carmo, cairá a Trindade?
Augusto Baptista

quinta-feira, 10 de março de 2016

Enigma 1097
Qual é a marca da cola que gruda a sombra ao corpo?
Augusto Baptista

terça-feira, 8 de março de 2016


Enigma 1096
Quando te mandam à fava, vais ao grão-de-bico?
Augusto Baptista

segunda-feira, 7 de março de 2016

Enigma 1095
Há pulseiras electrónicas para o fogo preso?
Augusto Baptista

domingo, 6 de março de 2016

Enigma 1094
Quem fala de cima da burra, vai a trote ou a galope?
Augusto Baptista

sábado, 5 de março de 2016

Enigma 1093
Em São Bento da Porta Aberta abundam pneumonias?
Augusto Baptista
Enigma 1092
São ignívomos ou ignívoros os dragões, em ignotos astros ígneos?
Augusto Baptista

sexta-feira, 4 de março de 2016

Enigma 1091
Para quem é tu cá tu lá, é tudo toma lá dá cá?
Augusto Baptista

quinta-feira, 3 de março de 2016

Enigma 1090
Os valentes tremem, quando a terra abana?
Augusto Bpatista

quarta-feira, 2 de março de 2016

Enigma 1089
Em cem leitões, quantos chegam a porco?
Augusto Baptista

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Enigma 1088
Arco do Triunfo, coroa de louros, volta da consagração, medalhas, anéis olímpicos: a vitória é redonda?
Augusto Baptista

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Enigma 1087
Os patologistas também vendem peru?
Augusto Baptista

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016


Enigma 1086
A banda gástrica tem saxofone?
Augusto Baptista

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Enigma 1085
Gode é metade do bigode?
Augusto Baptista

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016


Enigma 1084
À noite, quem apaga a luz do céu e acende as estrelas?
Augusto Baptista
Enigma 1083
Qual a cor dos silgos que pintam os pintassilgos?
Augusto Baptista

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016


Enigma 1082
O que fica da mão após o adeus?
Augusto Baptista

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Enigma 1081
Dão-se gotas para a gota?
Augusto Baptista

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Enigma 1080
O vento vvvvvv, quando é muito, assovia?
Augusto Baptista
Enigma 1079
Modernidade é dar cor à água da torneira?
Augusto Baptista

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Enigma 1078
Qual o teor de toxidade do mau feitio?
Augusto Baptista

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Enigma 1077
Quem cresce mais: as unhas das mãos ou as unhas dos pés?
Augusto Baptista

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

   Enigma 1076
    Augusto Baptista

domingo, 24 de janeiro de 2016

Enigma 1075
O que faz perder a pena ao frango de pescoço pelado?
Augusto Baptista

sábado, 23 de janeiro de 2016

Enigma 1074
Por que é que o vinho tinto é vermelho e o branco é amarelo?
Augusto Baptista

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Enigma 1073
Qual é a função da crista do galo?
Augusto Baptista

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016


Enigma 1072
Se um café cheio tem vinte pessoas, quantas tem um café curto?
Augusto Baptista
Enigma 1071
Por que é que o milho tem barbas e não usa bigode?
Augusto Baptista

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Enigma 1070
Os frutos do mar têm caroço?
Augusto Baptista

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Enigma 1069
Fato-macaco XXL é fato-gorila?
Augusto Baptista

domingo, 17 de janeiro de 2016


Enigma 1068
Quem na praia procura o bronze, na serra busca o volfrâmio?
Augusto Baptista


sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

À entrada do Mercado do Bolhão, quadro insólito: um homem, boné do Futebol Clube do Porto, gravador ao peito, auscultadores nos ouvidos, a cantar. A cantar e a bater com as canadianas: o acompanhamento musical. Uma orquestra de muletas, um vocalista desafinado, a espantar os transeuntes. E há mãos comovidas a caminho dos bolsos, dos porta-moedas. Outras não.



 O performer do Bolhão 


Estou aqui a dar carinho às pessoas, a animar o povo. E as pessoas reconhecem, gostam, dão gorjetas. Só de olhar para mim ficam alegres, depois eu falo em certas coisas.

Mãe que partiste
e não voltaste
mas deixaste
o teu retrato tão lindo.

Mãe o teu retrato
é tão lindo
parece que me está ouvindo.

Eu dantes cantava em Valongo, nas paragens. E também cantava aqui, mas desde as eleições para a Câmara comecei a cantar só aqui. O Melo, presidente da Câmara, podia ser de que partido fosse, mas era uma jóia de pessoa. Agora este que para lá foi não me deixa cantar e eu vim para o Porto. Na Internet apanharam-me e estou em todo o mundo. Dantes era cantor de Valongo, agora puseram-me também cantor do Bolhão.
Eu francamente não precisava de andar nestas coisas, mas tenho pena das pessoas. O padre da capelinha das almas já me conhece, e o bispo, até os que andam a estudar para padre estiveram aqui e disseram que eu estava a fazer um papel importante.  Quando estou a cantar cantigas da igreja até me vêm as bagadas aos olhos.
As pessoas têm muito amor à minha pessoa. Vem gente do Sobrado, de Valongo, vem tudo aqui. Ainda hoje Ai você nasceu em Valongo e anda aqui? Deixei Valongo porque lá não sabem respeitar as pessoas. Aqui tem mais coiso. Lá não há aquele carinho como aqui. Uns pagam por causa dos outros. Aqui até as pombas me conhecem.
Dou-lhes pão aos bocadinhos. Se eu lhes der aos bocados grandes, elas entalam-se. Alguns dão pontapés nas pombas. E eu digo, As pombas não fazem mal a vocês. Vem um, pumba, dá biqueiro, vai outro caço-lhas, metem-nas no bolso e levam-nas para casa. Já vi um gajo a dar de comer e a caçar nas pombas, a meter ao bolso e a levá-las.


Sou portista, graças a Deus
Os benfiquistas, quando eu estou a cantar, ficam danados. Sou portista, graças a Deus, desde que tinha cinco anos. Sou do Porto há 63 anos. Lembro-me do Miguel Arcanjo, do Marujo, daqueles jogadores que já estão no outro mundo. E o Yustrich, o Pedroto. Eu sou do tempo do Monteiro da Costa, do Jaburu, Gaston, Valdemar, Carlos Duarte, Acúrsio, Hernâni, Barrigana. Sou desse tempo.

Rosas brancas
como tu não há igual
o Porto é o maior
dos maiores de Portugal.

Os benfiquistas não gostam que eu cante. Já chamaram a polícia para me autuar. Uma mulher veio aqui atirar-me com água, o pai dela anda a vender rifas. Trouxe um balde de água e atirou-me. Também o gajo da loja é um ranhoso, é um benfiquista ranhoso. Metia-se comigo, não sabe respeitar as pessoas, mas desde que o Benfica foi eliminado da taça UEFA nunca mais apareceu.
Um chegou à minha beira e disse Se você tivesse um cachecol ou um chapéu do Benfica dava-lhe uma gorjeta. E eu disse Olhe, eu não quero gorjeta do Benfica. Olhe o céu, eu assim para ele, olhe o céu, o azul, o azul e branco. É muito lindo, é a cor de Deus. Deus também é azul e branco.
Há três que vêm aqui todos os dias chatear-me. São dois trapalhões e mais um, equipado, usa óculos e tem a mania que é o maestro. Para aferroar dizem que o Benfica é campeão e que o Porto anda de caganeira. E eu digo, A caganeira passa, mas vocês dão carne podre à águia. Ide pagar o que devedes. O Porto é o maior. O Porto ganhou tudo. O Porto ganhou 20 taças Cândido de Oliveira, o Benfica ganhou 2, o Sporting ganhou 7, o que é que vocês querem? Nem o Real Madrid  tem uma Taça Intercontinental. Só o Porto. O Porto ganhou a Taça das Taças, uma Taça Intercontinental, dois Campeões Europeus, duas taças UEFA: seis. E o Benfica? Dois Campeões Europeus no tempo do Salazar.



Em Valongo são padeiros
em Sobrado lavradores
em Lordelo marceneiros
a terra dos meus amores.



Sou da terra dos móveis: Lordelo, Paredes. Os de Paços de Ferreira aprenderam a arte com os de Lordelo. Trabalhei como entalhador. O meu avô é de Valbom, também entalhador. De móveis. De todas as madeiras.
Sei mogno, sei eucalipto, sei castanho, sei de toda a madeira que calhar. Século XVII, século XVIII. Trabalhava com goivas, caixobi (o que faz a gravação), o martelo, não é martelo é maceta. E muitas goivas. Palheta 1, 2, estreitinhas, mais largas, formões. Para cima de umas 50 peças. As peças eram minhas. Eu deixei isto há mais de 20 anos, deixei lá numa mala. Na família também aprenderam a arte comigo e levaram a ferramenta, compreende. Os meus irmãos também os ensinei. E gente de fora. Às vezes pediam-me e eu ensinava-os. Eu trabalhei em casa do Madaleno, em vários. Fábricas que tinham uma média de 50 empregados. Um era Quinzinho, outro era Jardim Ferrinha. Eu às vezes trabalhava à peça em casa. Agora a coisa de entalhação foi abaixo: é tudo obra lisa. E eu também não posso trabalhar por causa da coluna e tudo o mais. Caí, fiz operação à anca, tenho a perna inutilizada.


O assobio
Estive na tropa em Moçambique. Em Tete, Beira. Era de uma companhia de Apoio Directo: mecânicos, bate-chapas, carpinteiros. Fazíamos tudo. Na tropa estive no ano de 1969 e vim em 1971. Eu era soldado. Tinha a escola de cabos, compreende, mas de certa maneira houve um problema na companhia. Cheguei dois minutos atrasado na formatura e mandaram-me cortar o cabelo. Eu agarrei e não deixei cortar o cabelo, são coisas que acontecem. Deram-me cinco dias de detenção. Depois, em Tete, no refeitório, não deixei fazer pouco. Lá um chefe de mesa começou a mandar comigo e deram-me mais três dias. Quilharam-me, ao cabo não.
Depois houve mais um problema: estava de Oficial de Dia o capitão de outra companhia, que a mim não encarava, e queria que eu acusasse um gajo. O capitão disse: Você estava na caserna tem de saber quem era. E eu disse: Não sei, eu não vi, eu até podia estar na casa de banho. O gajo era de Vila do Conde, eu não queria prejudicá-lo, compreende. Os gajos de Vila do Conde alto lá com eles. São os de Vila do Conde e os alentejanos e os madeirenses. O gajo tinha dito Quem quer ir ao cu ao oficial de dia que dê um assobio. Mas eu não disse ao capitão quem foi.




Direitos iguais
Alguns não me encaram. Não respeitam quem está no seu trabalho a dar carinho às pessoas, aos idosos, juventude, turistas. Há mulheres que ficam com ciúmes por verem as idosas a darem-me beijos. Há um que tem um clarim e uma mala e tem dinheiro dentro a entusiasmar as pessoas. O clarim dele dá muito barulho, eu tapo os ouvidos. O ceguinho que toca na esquina já foi escorraçado da Batalha. É ceguinho, mas é uma jóia de pessoa.
Olhe, àquela senhora que vem aqui roubaram-lhe a carteira: 
-       Oh minha senhora, noutro dia roubaram-lhe a carteira.
-       Roubaram-me a carteira com a minha reforma.
Tive pena e emprestei-lhe o que tinha. Eu também fui roubado. Roubaram-me uma sacola de couro. Foram os do Benfica, não foi mais ninguém. Mas piores que os do Benfica são os da droga.
Eu tenho pena das pessoas, eu francamente já telefonei para os bombeiros irem buscar idosos. Caíam lá na estrada e eu apanhava-os. Eu tenho muito crédito em Valongo, nos bombeiros e tudo o mais. Mas há mais de um ano que eu não canto lá. Deixei. Lá tem pessoas que não têm mentalidade e eu, para não me chatear... O presidente da Câmara não é da minha cor. Eu sou militante do PSD. Durão Barroso, Santana Lopes, todos me conhecem. Já estive com eles. Estive com eles no Coliseu, estive com eles em Valongo. Às vezes dizem-me, então tu és pobre e és do partido dos ricos? E eu respondo Então os pobres não têm os mesmos direitos que tem um rico?

Até os netos
O meu nome é António Ferreira Coelho. Mas, na terra, todos é por Leite que me conhecem. O meu falecido pai era russo e naquela maré puseram-lhe Leite, por ser russo. Tenho 68 anos. Casei, tive de tratar da minha vida e tudo o mais. Tenho seis filhos, três casais. Eles não querem que eu ande a cantar, mas quem manda sou eu. A minha mulher está assim um bocadinho da cabeça e eu não estou para me chatear por causa dela. Há coisas muito mal compreendidas e quando as pessoas, os filhos, querem mandar nos pais desta maneira e daquela. A mãe deu-lhes muito abuso. E têm mais amor à mãe do que ao próprio pai. Depois há certas coisas, compreende, em casa é tudo vermelho, tudo mouro. Até os netos são do Benfica.

Fotografia e texto Augusto Baptista (texto redigido após conversa com António Ferreira Coelho, meados de 2015; fotografia concretizada nesse período, em diferentes momentos)
ver: YouTube o cantor de Valongo


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Enigma 1067
Por que é que os arco-íris são redondos?
Augusto Baptista
Enigma 1066
As plantas das casas são desenhadas por agricultores ou plantadas por arquitectos?
Augusto Baptista

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Enigma 1065
O vermelho manda parar; o verde, avançar; e o azul?
Augusto Baptista

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Enigma 1064
O canto do olho é polifónico?
Augusto Baptista

domingo, 10 de janeiro de 2016


Enigma 1063
Quando o Nuno anda no não, o diminutivo é no ninho?
Augusto Baptista

Enigma 1062
O pontapé na atmosfera dá-se mais em jeito ou em força?
Augusto Baptista

sábado, 9 de janeiro de 2016

Enigma 1061
Quem chora muito corre o risco de desidratar?
Augusto Baptista

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Enigma 1060
Hoje ainda irá a tempo?
Augusto Baptista

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Enigma 1059
Para limpar a boca é mais prático usar a palma ou as costas da mão?
Augusto Baptista

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Enigma 1058
Para que servem as palavras que não se dizem?
Augusto Baptista
Enigma 1057
A banha da cobra é boa para fritar?
Augusto Baptista

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Enigma 1056
No inferno a entrada é livre?
Augusto Baptista

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Enigma 1055
Quem inventou o guardanapo?
Augusto Baptista
Enigma 1054
Quanto mede o mar alto?
Augusto Baptista

domingo, 3 de janeiro de 2016

Enigma 1053
Amanhã é longe ou é perto?
Augusto Baptista

sábado, 2 de janeiro de 2016


Enigma 1052
Os grandes elefantes africanos, com enormes presas, levam H?
Augusto Baptista


sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Ode ao gato
Canto a insolência
com que olhas
de alto a baixo
os poderosos
os avalias
num desdém
a roçar a impertinência.

Ah e os teus dengosos
bate papos com o sol
este sol do sul
luminoso e quente
e me pergunto
de que falarão vocês
enrolados
um no outro assim
que assuntos calorosos
vos retêm tão entretidos
pela tarde adiante.


Canto a eloquência
dos teus discursos de silêncio
os enunciados
libertários que proclamas
no roçagar
do teu corpo
em labaredas
entre as pernas
dos homens
das mulheres
e guardo segredo
das coisas
que escutas
e me confias.


Canto este tempo
de pirilampos e malmequeres
pequenos sóis que alegram
os cabelos das raparigas
e tu pequeno príncipe
das trevas
que tudo vês
e sabes
de olhos fechados
libidinoso
a ronronar-lhes
no colo.


Canto a partícula cósmica
que um dia foste
e de longínquas paragens
saltou
fascinada
por esta bola
azul às voltas
salto timorato
de quem não mede
tempo nem distâncias
siderais
nem avalia as consequências
astronómicas
dos impulsos instintivos
um pulo de cortar a respiração
sete vezes
e
vertigem
de estrela cadente
grão de pó
ou ainda menos
desde os confins
do espaço
sideral
do tempo
sem memória
riscando o céu
em fogo
i
n
f
i
n
i
t
a
m
e
n
t
e
se fez
forma
animal
aqui
caindo


de pé.


De pé
como as árvores
que não tremem
diante do machado
e se inquietam
com o trinar
dos pássaros.

augusto baptista