segunda-feira, 29 de junho de 2015

Enigma 1015
Para um miúdo de dois anos, um de oito é um idoso?
Augusto Baptista
Enigma 1014
Um tipo todo torto pode entortar ainda mais?
Augusto Baptista
Enigma 1013
Nas fachadas das igrejas, as ervas encontram alimento espiritual?
Augusto Baptista

sexta-feira, 26 de junho de 2015


Enigma 1012
Há que guardar as lágrimas que nos sobram em momentos de alegria, para que não nos faltem em tempos de tristeza?
Augusto Baptista
Enigma 1011
Num tipo bronco um mero resfriado vira broncopneumonia?
Augusto Baptista

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Enigma 1010
Quem tem queda para a discrição tem discrição na queda?
Augusto Baptista

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Enigma 1009
Os peixes nadam em cardumes, as baleias em manadas?
Augusto Baptista

terça-feira, 23 de junho de 2015

Enigma 1008
Tendo ela tantos formatos, por que é que quando se diz bolacha se pensa em coisa redonda?
Augusto Baptista
Enigma 1007
Campainha não deveria ter muitos iiii?
Augusto Baptista

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Enigma 1006
No jardim, contra a árvore, quem alça a perna: o cãozinho ou a senhora que segura a trela?
Augusto Baptista
Enigma 1005
Porquê abcd... e não xhrp..., por exemplo?
Augusto Baptista

domingo, 21 de junho de 2015

Há dois, três anos, publiquei em PNETliteratura o texto que agora e aqui republico, centrado neste real-irreal Porto de Junho


A cidade fraterna
O veneziano Marco Polo muito falou a Kublai Kan, imperador mongol, da cidade fraterna que dura uma noite. Esse relato o conheceu Italo Calvino, sem que entretanto a tenha arrolado entre as urbes invisíveis que a seu tempo deu a saber, por de todas ser a mais fantástica, tanto que se tornaria inverosímil.
Todos os anos, noite certa, quando o velho jacarandá é uma grande flor azul, nasce a cidade. Os circunspectos cidadãos com fazenda encerram seus graves ofícios e, acompanhados das virtuosas famílias, vêm para a rua folgar com os pobres, os chulos, as prostitutas, carteiristas, polícias, frades, ateus, gente de todas as crenças que ali arriba de longínquos tempos e remotos lugares.
Entre fumaça, balões, pirilampos, carrosséis, foguetes, música, comem, bebem. Incensam-se com ervas, expiam excessos em altos fogaréus saltando e, honra a um orago sem cabeça, dançam. Dançam e martelam-se. E martelam-se. Martelam-se uns aos outros, na cabeça.
Fraternal desatino.
Súbito, mariposa contra a vidraça da manhã, a cidade falece.

Augusto Baptista

Enigma 1004
Nariz com nariz, um N: um beijo?
Augusto Baptista

sábado, 20 de junho de 2015

Enigma 1003
O V está a ser assaltado?
Augusto Baptista
Enigma 1002
Por que é que o D é tão darrigudo?
Augusto Baptista

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Enigma 1001
Os médicos tratam os pacientes, e quem trata os impacientes?
Augusto Baptista

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Enigma 1000
Quantos mil mistérios, num bichinho-de-conta?
Augusto Baptista
Enigma 999
Há um, nem quente nem frio, nem forte nem fraco, um que só o sabemos vento por o termos aprendido, de outras vezes?
Augusto Baptista

quarta-feira, 17 de junho de 2015


Enigma 998
Pode um dia um foguete ficar cravado no céu?
Augusto Baptista
Enigma 997
Não nos daria jeito um rabo, para sacudir as moscas, às vezes?
Augusto Baptista

terça-feira, 16 de junho de 2015

Enigma 996
Se asfaltassem a crosta terrestre, o trânsito fluiria com mais rapidez?
Augusto Baptista
Enigma 995
É vida ainda o breve rasto de memória que tremeluz depois da morte?
Augusto Baptista

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Enigma 994
Generosas são as árvores: não nos negam o fruto?
Augusto Baptista
Enigma 993
Com quantas árvores se faz uma floresta?
Augusto Baptista
Enigma 992
O lavrador olha a terra com olhos de mãe?
Augusto Baptista
Enigma 991
O que seria a festa sem este foguete a espavorir o céu?
Augusto Baptista
Enigma 990
Pesadelo ou sonho: um mundo sem luz, vivido aos apalpões?
Augusto Baptista
Enigma 989
A marmelada é feita com marmelos, e a pessegada?
Augusto Baptista
Enigma 988
Os carros de boys são de alta cilindrada?
Augusto Baptista

domingo, 14 de junho de 2015


Enigma 987
Há relógios de ponto e vírgula?
Augusto Baptista

Enigma 986
Os triângulos amorosos são equiláteros?
Augusto Baptista

Enigma 985
Quem bem descende, bem ascende?
Augusto Baptista

Enigma 984
As rasteiras devem passar-se em quantas vias?
Augusto Baptista

Enigma 983
O pau de dois bicos faz-se com uma faca de dois gumes?
Augusto Baptista
Enigma 982
Há casacos de peles de pêssego?
Augusto Baptista

sábado, 13 de junho de 2015


Enigma 981
Quanto medem em pés as mãos do Cristo Rei?
Augusto Baptista
Enigma 980
As estrelas anãs têm complexos?
Augusto Baptista

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Enigma 979
O que é uma mulher bonita?
Augusto Baptista

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Enigma 978
O telemóvel também mede a solidão?
Augusto Baptista

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Enigma 977
As ondas são o mar a bater o coração?
Augusto Baptista

terça-feira, 9 de junho de 2015

Enigma 976
Os cabelos são rios, a água feita em fios?
Augusto Baptista

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Enigma 975
De pinho, eucalipto, mogno, a perna de pau do pirata?
Augusto Baptista
Enigma 974
As senhoras descaradas poupam em pó de arroz?
Augusto Baptista

domingo, 7 de junho de 2015


Enigma 973
Com tanta matéria negra no universo, não podemos, um dia destes, aparecer enfarruscados?
Augusto Baptista

Enigma 972
Abre-se já o champanhe, que está um calor de rachar, ou aguenta-se mais um chisco, não vá os outros marcarem?
Augusto Baptista
Enigma 971
Com tanta bomba, tiro, rebentamento, explosão, a passarada não andará despassarada?
Augusto Baptista

sábado, 6 de junho de 2015


Enigma 970
Como é que os rios não se enganam no caminho?
Augusto Baptista

Enigma 969
Quem caminha sobre os próprios passos sai do sítio?
Augusto Baptista

Enigma 968
Nas viagens interplanetárias vão exigir passaporte?
Augusto Baptista

Enigma 967
Os pinheiros bravos são domesticáveis?
Augusto Baptista

Enigma 966
O que nos espera, depois da curva?
Augusto Baptista

Enigma 965
Os cavalos alados comem alpista?
Augusto Baptista

Enigma 964
Antigamente, quantas vezes por ano mudavam de pena os escritores?
Augusto Baptista

Enigma 963
O Éden tinha água canalizada, Q/F?
Augusto Baptista

sexta-feira, 5 de junho de 2015


Enigma 961
O chinelo, pelo formato, a delicadeza, beijou o pé de Nefertiti?
Augusto Baptista
Enigma 960
Com toda a gente surda, para quê gritar?
Augusto Baptista
Enigma 959
Há relógios adormecedores?
Augusto Baptista

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Enigma 958
Quem se agarra ao verbo dá a volta ao texto?
Augusto Baptista
Enigma 957
De manhã convém passar os olhos pelos títulos dos jornais, para saber se ainda há mundo?
Augusto Baptista

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Enigma 956
Há moscas que por mais voltas que dêem acabam por nos cair na sopa?
Augusto Baptista
Enigma 955
As árvores quando morrem parecem soldados no campo de batalha ainda de pé?
Augusto Baptista

terça-feira, 2 de junho de 2015


Enigma 954
Um cavalo a galope no frio levanta uma nuvem de suor que faz lembrar a nuvem de pó que um cavalo a galope no calor levanta?
Augusto Baptista

Enigma 953
Atendendo ao tráfego, não seria de construir mais aeroportos, para os aviões de papel?
Augusto Baptista

Enigma 952
Há palavras que nos ficam espetadas na garganta, como espinha de bacalhau?
Augusto Baptista
Enigma 951
As boinas bascas são boas para ninhar utopias?
Augusto Baptista
Enigma 950
Há um tempo em que o Tempo te envolve como rissol passado por pão ralado, e te manda para a sertã - justo quando querias ir para Coimbra?
Augusto Baptista

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Enigma 949
Quando espreitas pela vidraça, esperas que o peixe, brincalhão, te ponha a língua de fora?
Augusto Baptista
Enigma 948
Paixão é esta mão privada da tua mão, este não saber que dia é hoje?
Augusto Baptista
Enigma 947
Os aviões não deveriam ter janelas de correr, para se poder dizer adeus?
Augusto Baptista

Enigma 945
O que faz arrepiar a pele das palavras?
Augusto Baptista
Enigma 944
As árvores dormem?
Augusto Baptista